Persuasão 2.0: Como ser convincente no mundo digital

Tempo de leitura estimado: 3 minutos

Olá! Para colocar meu conhecimento a serviço de vocês e escrever para ajudá-los em suas tarefas diárias, @pfcarrelo, diretora de marketing da Zyncro, e sem dúvida, um dos perfis mais interessantes que eu conheço na web, me convidou para a aventura de escrever sobre Persuasão 2.0: Como convencer no mundo digital?

Os mestres da persuasão no mundo off-line são as marcas de grande consumo. Um momento de descontração com a Pepsi e Fernando Torres (essas marcas conseguem unir consumo e humor, gerando excelentes resultados).

Todos nós estamos sujeitos diariamente a escolher entre produtos de qualidade muito semelhante. Tirei de uma grande cadeira de consumo uma definição de persuasão que eu gosto muito:

Persuadir é incentivar os outros a aceitem voluntariamente o nosso modo de ver as coisas e respeitar, apreciar e ter em conta as nossas propostas.
Podemos influenciar alguém por nosso modo de ser e de agir.

Manipulação, perguntam alguns? Não, simplesmente persuasão, a manipulação tem segundas intenções e o marketing não, no final o marketing é um guerra de percepções e não de motivações obscuras!

E a Persuasão 2.0? Que elemento devemos ter em mente para que nossa estratégia de produto/marca online seja suficientemente persuasiva?


– Canal: Inquestionavelmente persuasão offline tem uma presença física que substituímos por um canal determinado no mundo digital. Neste sentido, a Zyncro é um canal digital corporativo e o Zyncro Blog é um canal de comunicação digital. A escolha de um canal adequado de comunicação é 90% do êxito da persuasão 20.
– Excelência do produto/marca: A qualidade e a transparência das marcas e produtos são muito importantes no mundo digital.
– Capacidade de envolver e oferecer atributos/conteúdos de valor: O excesso de informação que ocorre na rede nos obriga a dar muito mais valor ao usuário.

– Empatia, a capacidade de saber o que procuram e pelo que se interessam nossos usuários: Uma análise cuidadosa para determinar se aquilo que estamos comunicando é interessante ou passa batido.
– Resposta rápida: O mundo digital é mais rápido do que o tempo e as respostas são esperadas a todo momento.
– Emoção: ser capaz de transmitir sentimento através da comunicação.
– Lógica e interação: O mundo 2.0 é hiperconectado, devemos ser capazes de entende e trabalhar com essa premissa.
– Surpreender: oferecer mais do que o esperado ou oferecer de uma maneira diferente, adicionando valor e conteúdo.


A encenação, que é tão importante no mundo offline, torna-se conteúdo e capacidade de gerar interesse por meio de palavras e storytelling, “contar uma história” no mundo online. O post chamado
Steve Jobs e o Poder da Narrativa ilustra perfeitamente o que quero dizer.

Como disse Seth Godin, minha referência como Strategist Thinking, em seu post Preste atenção na Economia da Atenção, em um ambiente onde as notícias e desenvolvimentos voam na casa dos milhões, imagine a importância de persuadir ou atrair a atenção do usuário.


A persuasão 2.0 é a melhor e mais eficaz ferramente para conseguir um propósito comercial ou de marketing, confiantes no nosso produto/serviço e uma vez selecionados os canais de comunicação adequados com os nossos clientes, devemos aprofundar as técnicas de persuasão para atingir nossas metas:
– Conduzir
– Convencer
– Transmitir
– Informar
– Emocionar
Estou sendo suficientemente persuasiva?

Permitam-me uma pergunta: acredito que poderíamos aprofundar mais no Personal Branding e também gostaria de falar sobre Reputação Online, sempre voltadas para o público. Qual conteúdo vocês preferem?