As 20 chaves para o sucesso de uma Rede Social para empresas 

Tempo estimado de leitura: 5 minutos

Nota do Editor : Agradecemos a Mireia Ranera (diretora da divisão RRHH2.0 do Íncipy, Estrategia e Innovación digital) por compartilhar com a Zyncro este artigo reproduzido abaixo para todos vocês.

Mireia expõe aqui, com grande clareza, as chaves para realizar as mudanças necessárias para tirar o máximo partido da implantação de uma Rede Social Corporativa.

As 20 chaves do sucesso de uma rede social de funcionários

Estávamos acostumados a ver todas as inovações tecnológicas (os primeiros computadores, telefones, internet, e-mail…) nascerem sempre dentro nas empresas e com o tempo seu uso passava ao meio privado.

Agora está acontecendo justo o contrário. Nossos funcionários dispõem de smartphones, tablets,  computadores… Muito mais modernos e inovadores do que os que eles utilizam na empresa.

Mas isso não ocorre só com os dispositivos. Novas formas e canais de comunicação relacionados com temas profissionais estão aparecendo primeiro fora das próprias organizações, como é o caso das Redes Sociais Profissionais, possibilitando a comunicação, relação e troca de experiências, ideias e opiniões entre os trabalhadores e colaboradores.

E agora, ao contrário do que estávamos acostumados, queremos aproveitar internamente o que de forma natural e espontânea se está produzindo fora, trazendo o potencial das redes sociais para dentro de nossas empresas através de ferramentas internas.

Formas para fazê-lo não nos faltam, já que no mercado tem aparecido muitas plataformas e softwares sociais que podem ser implementadas de forma corporativa nas empresas e o cloud computing faz com que isso seja ainda mais fácil.

Todas elas oferecem poderosas funções como nas redes abertas: integrar perfis, grupos, diretórios, blogs internos, compartilhar planilhas de custo, wikis, ferramentas de colaboração e comunicação em tempo real…

Funcionalidades realmente excelentes para facilitar a interação entre os membros de uma mesma companhia, que ajudam a promover as relações e a colaboração, facilitam o fluxo do conhecimento e aproveitam a inteligência coletiva.

Existem também pesquisas bem sérias que estão demonstrando os importantes benefícios de uma Rede Social Corporativa (McKinsey: “The rise of networked Enterprise: web 2.0 finds its payday”)

Portanto, não é de admirar que cada vez mais empresas, vendo o potencial destas ferramentas, considerem seriamente a implementação de uma rede social de uso exclusivo e privado para todos os seus funcionários.

Mas não se pode cair no erro de pensar que se os nossos funcionários usam as redes sociais externas, também o farão internamente.  Não se trata apenas de integrar um software social potente na empresa e esperar que as pessoas comecem a utilizá-lo. Requer uma mudança organizacional, uma nova forma interna de trabalhar, comunicar e relacionar, que deve ser acompanhada e incentivada.

Quando é que uma Rede Social Corporativa para funcionários faz realmente sucesso?

1. Quando a visão de seus benefícios parte da Direção Geral.

2. Quando esta visão é compartilhada sem medo e com coragem pelo resto dos Diretores.

3. Quando estes Diretores sabem passar seu apoio e prioridade aos Gerentes.

4. Quando os usuários são comunicados e entendem os objetivos da iniciativa e as vantagens reais que a nova plataforma significa no seu trabalho.

5. Quando a IT se envolve, apoia, contribui com seu know-how em vez de ver a plataforma como uma perda de poder.

6. Quando se escolhe uma plataforma adequada aos objetivos específicos e às necessidades da empresa. Você tem que saber escolher a melhor ferramenta e não pensar que o projeto é apenas uma questão de comprar licenças.

7. Quando a plataforma é tão fácil de usar que seja intuitiva, resultando em uma experiência de uso agradável, simples e muito visual.

8. Quando se planeja a implementação, incentivando e dinamizando a participação dos usuários.

9. Quando se implementa sem impor e se oferece suporte aos usuários com paciência para que percam o medo, se familiarizem e aprendam sem pressão.

10. Quando não se comete o erro de pensar que os usuários espontaneamente começarão a usar a ferramenta, compartilhar informações e trabalhar colaborativamente de forma automática.

11. Quando são realizadas ações que promovem a participação, a colaboração e ajudam a romper as barreiras iniciais.

12. Quando se medem os resultados da implementação (nível de participação, leituras, contribuições, comentários, interações, etc.) e com base nisso reativa-se a participação.

13. Quando se aborda o projeto de forma planejada, sendo iniciado em grupos piloto para aprender, experimentar e detetar as dificuldades e oportunidades.

14. Quando se aplica o know-how aprendido e gradualmente se espalha a implementação para o restante da organização.

15. Quando os usuários conseguem com a nova plataforma melhorar aspectos de seu trabalho e conseguir coisas que com os e-mails e meios tradicionais era impossível.

16. Quando a plataforma passa a ser utilizada para  projetos concretos, prioritários para a companhia e de valor para o dia a dia do funcionário, das equipes e da empresa.

17. Quando os Diretores também participam de forma ativa e compartilham, trocam ideias, fazem sugestões…com a mesma transparência que os demais usuários.

18. Quando os funcionários notam que as suas contribuições são reconhecidas por parte dos Diretores (com menções, agradecimentos, reconhecimentos de talento…)

19. Quando se compartilham conteúdos de interesse e é criada uma biblioteca útil para todos.

20. Quando outros assuntos, além de trabalho, como temas mais pessoais ou emocionais, também são compartilhados, já que isso faz as relações ficarem mais humanas e ajuda a consolidar as equipes.

 

Meus agradecimentos a todos meus companheiros da Íncipy por me ajudarem a selecionar estes 20 conselhos, com base no nosso dia a dia apoiando e promovendo as Redes Sociais Corporativas.

É uma lista aberta e todas as ideias e sugestões são bem-vindas. Quer nos ajudar a ampliá-la?