Novas tendências da empresa social na Europa 

Tempo estimado de leitura: 4 minutos

Nota do editor: Como sabem, na semana passada estivemos em Berlim, participando no INTRA.net Reloaded, um encontro que analisou as tendências, estratégias e desafios para a gestão de intranets e redes sociais corporativas no ambiente digital em constante mudança em que nos encontramos atualmente, com a participação de altos executivos de toda Europa, entre os quais o nosso CEO, Lluís Font.

O artigo de hoje é de Philipp Rosenthal, participante do Intra.NET Reloaded e diretor de área de soluções de Tieto, além de ser um entusiasta da empresa 2.0. Em seu blog “DesireIT”, ele fez um relato sobre o encontro e aqui no ZyncroBlog estamos publicando uma versão resumida. Obrigado Philipp!

Em um número crescente de empresas, a “intranet” é vista cada vez mais como um possível ponto de partida para a criação de um espaço de trabalho operacional. A otimização do acesso à informação e a transparência, bem como motivar a colaboração, são fatores fundamentais neste momento. Mesmo assim, não existe ainda um modelo a ser seguido. No entanto, os pensamentos e convicções vão na direção certa e os responsáveis das empresas estão começando a ser mais firmes em sua vontade de ajudar os funcionários a atingir suas metas.

 

Conectando empresas e clientes

Um número crescente de empresas está implementando serviços para conectar seus clientes com a organização. Seja porque tenham o intuito de prestar um serviço ou porque apostem pela tentativa de melhorar e inovar conjuntamente: a barreira entre a empresa e o cliente parece estar menos sólida.

Aumentar o valor e a participação nos serviços internos

Embora a maioria dos portais internos ainda servem somente como canais de distribuição de informação e comunicação corporativa, dispor da informação certa, no momento adequado e para o usuário certo, com a finalidade de propiciar um apoio verdadeiro ao seu trabalho, é um objetivo que algumas empresas já começam a perseguir. Os diretores estão começando a ser muito mais conscientes da importância de renovar a arquitetura da informação e as taxonomias dentro da empresa.

A tendência é clara: as intranets atuais deverão se tornar espaços de trabalho com valor adicionado.

Sensibilização para o gerenciamento ativo da mudança

Orientar os funcionários para a mudança através de campanhas de marketing ou de community managers é a ordem do dia, já que o processo de mudança para a comunicação interna 2.0 precisa uma gestão e implementação ativa para ser bem sucedida.

Fazer as perguntas certas

O que ainda é um desafio é a maneira de calcular o ponto de partida adequado: durante o Intra.NET Reloaded, a sensação foi que o pensamento enfocado no usuário ainda é subordinado à busca da ferramenta apropriada. A tendência, no entanto, é sem dúvida centrar cada vez mais nos usuários, nas pessoas.

Conclusão

O futuro da informação e do conhecimento dos trabalhadores vê mais luz no fim do túnel que há três anos. Para liberar o potencial que atualmente está escondido nos cérebros das pessoas com talento, as redes dentro das organizações deverão criar novas formas de distribuição, recuperação e enriquecimento da informação. Inspirar-se nos meios de comunicação social e comercial talvez seja uma boa ideia, já que na conferência foram feitas várias referências nesse sentido.

Resumindo: descentralizar, simplificar, assessorar e treinar… e ser agradável para os usuários.