Actualizações de RSS Mostrar/Esconder Comentários | Atalhos de Teclado

  • Xavi Gracia 9:17 am em 15/12/2011 Permalink | Responder
    Tags: , , , zona de conforto   

    A missão do CIO 

    Tempo de leitura: 3 minutos

    Em algum outro post, eu mencionei que as empresas são obrigadas a ” fazer mais com menos ” e, sem dúvida, as novas tecnologias desempenham um papel fundamental em tudo isso .

    A missão do CIO propõe que as tecnologias são as mais adequadas para os negócios cada vez mais globais, onde a compatibilidade, a inter-polaridade e, finalmente, a capacidade de integração são peças fundamentais para a continuidade do crescimento e desenvolvimento e das empresas. O CIO, ​​como acelerador e facilitador, deve sempre estar atento às inumeras oportunidades que se apresentam a cada dia e aproveitá-las para quebrar o esquema e as barreiras culturais, propondo soluções baseadas em “cloud computing” proporcionando maior flexibilidade e uma maior eficiência dos recursos economicos e estruturais.

    Quais são as vantagens de “Cloud computing”?

    É necessário que o CIO deixe a ” zona de conforto “e se jogue para o bem do negócio, adotando soluções mais inovadoras, para aliviar a estrutura de custos e tempo de implementação de projetos . Isso sem dúvida  permitirá o crescimento do CIO e uma maior orientação no negócio em sua área.
    As áreas de IT devem tornar-se uma peça chave para o negócio, com perfis de “líderes de projeto”, fornecendo soluções criativas, inovadoras e sustentáveis ​​ao longo do tempo.

    Honestamente, eu acho que é tempo de oportunidade para todos e especialmente para os CIOs, desde que sua prioridade seja o negócio e a contribuição para a geração de renda.

     
  • Xavi Gracia 11:47 am em 08/11/2011 Permalink | Responder
    Tags: ,   

    CIO como gerador de receita 

    Tempo estimado de leitura: 3 minutos

    Nos encontramos em um cenário extremadamente complicado, onde conseguir os objetivos e alcançar o que foi planejado está muito difícil.

    Os departamentos de TI estão muito pressionados para reduzir custos e focar em apresentar o ROI nos projetos que estão conduzindo. Té ai tudo bem, é um enfoque necessário, do mesmo modo que a racionalização da tecnologia presente em muitas empresas é vítima dos excessos nas épocas de “vacas gordas”.

    Mas, ter esse enfoque é o suficiente?

    Ao meu entender a resposta é NÃO.

    O CIO pode e deve contribuir para maximizar as venda, alinhando as TIC com a estratégia de negócio, e se a organização permitir, desenhar o plano estratégico da empresa levando em conta as vantagens que as TIC oferecem.

    A maioria dos departamentos de TI superaram, e com boa nota, a orientação ao cliente interno (“os usuários”), mas agora precisam focar no cliente que paga nossos salários: as vendas!

    Minha recomendação é que na hora de iniciar um projeto, escolha uma tecnologia ou priorize o plano de sistemas, centralize no que pode contribuir para maximizar as vendas.

    • Desenvolvimentos de novos canais de distribuição
    • Criação de novos produtos / serviços
    • Inteligência de negócio
    • Conhecimento do cliente, segmentação
    • Serviços de valor agregado
    • Fidelização

    Sinceramente, não é tão difícil, é questão de pensa em um miniprojeto que pode maximizar as vendas, trabalhado desde o início junto com a área Comercial e o Marketing, iniciando, medindo os resultados e assim conseguiremos que as TIC sejam geradores de receita.

     
  • Xavi Gracia 9:35 am em 16/09/2011 Permalink | Responder
    Tags: BI, , ERP, , sistemas de informação, TI   

    SI/TI, TIC, CRM, ERP, BI, Web 2.0… a chave do sucesso está no uso 

    Tempo estimado de leitura: 3 minutos

    Esses conceitos são familiares para você?

    • Sistemas da Informação, TIC, TI, “informática”…
    • ERP (o “SAP”), CRM, BI, BPM
    • Intranet 2.0, extranet, portal do colaborador…
    • Comunidade virtual, estratégia multicanal, empresa estendida…
    • Web 2.0

    Todos esses conceitos formam parte do nosso dia a dia, e tanto as empresas como as pessoas, tomam isso como parte do seu DNA.

    Na prática, eles são parte do nosso DNA porque os usamos intensivamente em nosso trabalho – independentemente do cargo – e da maneira direta ou indireta estão constantemente presentes no nosso dia a sia.

    Esse uso, em alguns casos, é bem feito e em outro não.

    Vamos a alguns exemplos:

    1. Tem sentido implantar um CRM sem estar focado no cliente? NÃO.
    2. Tem sentido implantar um ERP se não estivemos dispostos a rearticular os processos? NÃO.
    3. Tem sentido implantar um portal de colaboradores sem se importar com as opiniões deles? NÃO.
    4. Tem sentido implantar uma rede social se não estamos interessador em compartilhar? NÃO.

    Em um momento como o atual, onde é necessário fazer mais com menos, vale a pena que como empresa nos façamos essas perguntas e se a resposta for NÃO, sejamos capazes de neutralizar e transformá-las em SIM.

    Como? Orientando o cliente, melhorando nossos processos, tendo em conta a inteligencia coletiva e compartilhando o conhecimento (nosso maior patrimônio!).

    Os Sistemas de Informação e as TICs já existem em nossas empresas, trabalhamos com eles a cada dia, os adotamos e eles são parte de nosso DNA… Agora só falta acreditarmos no motivo pelo qual eles foram implantados.

    Resumindo:

    Hoje NÃO podemos nos permitir NÃO aproveitar as oportunidades que as novas tecnologias nos oferecem.

    Se as aproveitarmos desde o início de um plano de negócios, um projeto ou qualquer iniciativa empresarial, vamos ter vantagens competitivas, que sem dúvida melhoram nossos resultados.

     

     

     
  • Xavi Gracia 3:08 pm em 18/07/2011 Permalink | Responder
    Tags: , , , , mídias sociais,   

    Alinhe as Mídias Sociais com sua empresa – a visão de um CIO 

    Estamos em um momento em que  vender dá muito trabalho, a publicidade convencional já não seduz, campanhas de TV são muito caras, os spots de rádio são escassos e muitas vezes não atingem os objetivos desejados pelas empresas.

    Por outro lado temos a explosão do Social Media Marketing, que se apresenta como a solução para tudo.

    As Mídias Sociais, em minha opinião, vieram para ficar e por isso devemos incorporá-las em todos os níveis da organização, mas, como tudo, isso deve ser muito bem feito, alinhando essas mídias aos planos de negócios da empresa, e não como iniciativas independentes dos departamentos de marketing on-line.

    Se como empresas decidimos investir em Social Media Marketing, devemos incorporá-lo totalmente, como quando de implanta um CRM em todas as áreas e departamentos trabalham em redor disso.

    Hoje, as conversas se dão na rede e precisamos aprender a escutar. Mas isso de nada serve se não somos capazes de processar essa informação e tomar decisões.

    Resumindo, quando entramos no mundo das mídias sociais precisamos entender e estar dispostos a lidar com as peculiaridades deste universo.

    • Alinhamento: Integre aos planos de Marketing, vendas…. e não como uma ação isolada que “alguém” de marketing (geralmente o estagiário, porque é jovem e “domina” o Facebook)
    • TV+Internet: Se a estratégia é TV+Internet, o impacto pode ser muito grande (se bem feito)
    • Tecnologia: Ter os sistemas de informação e tecnologia preparados para possíveis picos e para o tráfego que geram as redes sociais no momento do spot de TV (repito: a combinação TV+Internet é poderosa!)
    • Compartilhe a informação: Todos devem saber da existência da campanha (Atenção ao cliente, redes de vendas, call center…), mesmo que seja através do “Facebook”, isso impacta em todas as áreas da empresa (até no financeiro!)
    • Ações: É preciso saber ouvir as conversas que rolam na rede, mas isso não serve de nada se as informações recebidas não gerarem ações específicas.
    • Gerentes de Comunidade: Sejamos todos um pouco “gerentes de comunidade”….porque quem mais sabe de nossas marcas somos nós mesmos.:-)

     

     
  • Xavi Gracia 1:21 pm em 18/05/2011 Permalink | Responder
    Tags: , company, , , , , ,   

    De “Gerente de TI” para CIO 2.0: Oportunidade ou perigo? 

    Tempo estimado de leitura: 4 minutos

    A Tecnologia de Informação (IT) revolucionou nossa sociedade empresarial e, como consequencia, a forma como fazemos as coisas.

    Todas as áreas e departamentos funcionais estão experimentando uma transformação completa e reinventado seu trabalho a cada dia. Estamos num ambiente globalizado, em mudança, altamente competitivo e onde nunca foi tão necessário fazer mais com menos.

    Tudo é um processo, e perfis voltados para o trabalho de equipe são obrigados a contribuir mais do que sua descrição de trabalho pressupõe.

    Todos devemos ter um componente de inovação em nossos perfis e isso deve ser visível nas decisões que tomamos, sejam quais forem nossas responsabilidades funcionais.

    Se focarmos no CIO, acredito que ha uma grande oportunidade para conduzir a organização neste papel e para trazer o resto dos diretores funcionais (finanças, vendas, marketing, operações…) para aderir a essa orientação no sentido da inovação, mudança e reinvenção diária do negócio.

    Então porque o CIO?  Porque estou convencido que um CIO orientado para os negócios possui as qualidades necessárias para iniciar essa mudança:

    • Estão cientes das possibilidades tecnológicas
    • Sabem como aproveitá-las ao máximo para garantir uma vantagem competitiva para empresa
    • São orientados para Projetos (hoje em dia, tudo é um projeto)
    • Tem uma visão completa da empresa que os permite considerar todas as áreas
    • São constantemente orientados para o resultado
    • Lideram equipes multi-disciplinares
    • Controlam custos
    • Negociam com prestadores de serviço
    • Eles exteriorizam

    O CIO 2.0 deve ser visto pelo resto da organização como um motor para a mudança, alguém que está sempre pronto para um desafio na empresa e que será capaz de propor uma solução criativa, voltada para os negócios que são viáveis e dará retorno sobre o investimento.

    Para se tornar um CIO 2.0 transformador da empresa, é necessário que o CIO remova de si mesmo o papel de “Gerente de TI” e passe imediatamente a contribuir com todo conhecimento que tem (que é muito!) e seja capaz de transmiti-lo ao resto da organização..  O CIO deve assumir o risco de sair de sua “zona de conforto”e não apenas se contentar em reduzir custos, ele precisa gerar renda através de novas tecnologias devido não apenas a utilidades que adicionam por si mesmas, mas também por sua adaptação ao negócio.

    Nesse momento, a organização verá o CIO como um de seus principais ativos e, antes de considerar qualquer projeto, o CIO wserá envolvido desde o inicio, sua visão e proposta de utilidade serão a chave para o sucesso.

    Para resumir, estou convencido que o CIO é um dos ativos mais importantes que uma organização pode ter ao contribuir para mudança, inovação e desenvolvimento constante, mas é necessário que o CIO assuma esse papel pessoalmente e seja capaz de transmiti-lo para o resto da organização, conduzindo a transformação da empresa.

    Voltando para o título: De “Gerente de TI” para CIO 2.0: Oportunidade ou perigo?

    Com certeza: OPORTUNIDADE!!!.


     
c
compor novo post
j
próxima post/próximo comentário
k
post anterior/comentário anterior
r
responder
e
editar
o
mostrar/esconder comentários
t
voltar ao topo
l
iniciar a sessão
h
mostrar/esconder ajuda
esc
cancelar